Movimentação de cargas em contêineres avança nos portos do Brasil

Segundo a Antaq, em fevereiro foram transportadas 11,2 milhões de toneladas de cargas conteinerizadas, 29,19% a mais que no mesmo mês de 2022; no bimestre o crescimento foi de 18%

A movimentação de cargas no porto de Santos atingiu 15,8 milhões de toneladas em maio, 4,9% acima do mesmo mês do ano passado (15,1 milhões de toneladas) com a melhor marca para esse período

Sonia Moraes

A movimentação de cargas conteinerizadas já sinaliza uma retomada, após dois anos de queda e estagnação. Em fevereiro deste ano a movimentação atingiu 11,2 milhões de toneladas, aumento de 29,19% em comparação com o mesmo mês do ano passado. Desse total, 7,7 milhões de toneladas foram movimentadas em longo curso e 3,4 milhões por cabotagem, segundo os dados do Estatístico Aquaviário da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq).

No acumulado de janeiro e fevereiro deste ano houve crescimento de 18% na cabotagem de contêiner, comparado com o mesmo período de 2023. Segundo a Antaq, não se trata de um efeito pontual e essa movimentação mais acentuada é apresentada em diversos portos do país.

Dos produtos que tiveram maior movimentação, destacam-se algodão, açúcar, café, bem como compostos químicos.  Impulsionado principalmente por cargas conteinerizadas, com destaques também para os crescimentos de granéis sólidos e líquidos, o setor portuário apresentou crescimento de 11,44% em fevereiro deste ano, com 99,83 milhões de toneladas de cargas movimentadas, ante os 89,58 milhões de toneladas registrados no mesmo mês de 2023.

Granéis sólidos

Os granéis sólidos, que representam 58,1% do total de tudo que é movimentado pelos portos, apresentaram crescimento de 11,48% frente a fevereiro de 2023. Foram 58 milhões de toneladas registradas em fevereiro deste ano, com destaque para os dois principais granéis, minério de ferro e soja. 
Granéis líquidos também aumentaram 7,47% em comparação com o mesmo mês de 2023. E as cargas gerais tiveram recuo de 1,53% durante o mês frente a fevereiro do ano passado.

Navegação

A movimentação de cargas de longo curso foi de 69,1 milhões de toneladas no segundo mês de 2024, crescimento de 13,59% em comparação com o mesmo período do ano passado, principalmente pelas exportações, que aumentaram 15,11%, enquanto as importações avançaram 6,87%.

A cabotagem, após leve queda em janeiro, apresentou elevação de 11,08% em comparação com o mesmo período do ano passado, com 23,87 milhões de toneladas movimentadas.

A navegação interior decresceu 5,27% em fevereiro, com movimentação de 6,68 milhões de toneladas. Do mesmo modo, houve recuo nas operações de carga feitas em apoio portuário (-9,42%) e marítimo (-3,53%).

Terminais privados

Os Terminais de Uso Privado (TUPs) registraram 66,14 milhões de toneladas em fevereiro de 2024, aumento de 10,89% sobre o mesmo período do ano anterior. O destaque percentual entre os cinco TUPs que mais movimentaram no mês fica para o terminal marítimo de Ponta da Madeira (MA), que registrou crescimento de 14,28%, com 10,65 milhões de toneladas movimentadas.

Portos públicos

Os portos públicos movimentaram 33,69 milhões de toneladas no segundo mês de 2024, avanço de 12,55% em relação ao mesmo mês do ano anterior. O porto de maior movimentação no mês foi o de Santos, com 11,11 milhões de toneladas, aumento de 32,42% frente ao mesmo período de 2023. O porto foi responsável por 33% de toda a movimentação portuária pública do mês.

LEIA MAIS

Ministro de portos e aeroportos anuncia investimentos de R$ 21,28 bi no porto de Santos

Portos brasileiros movimentam mais de 1,3 bi de toneladas em 2023

Veja também

Por