Volkswagen Caminhões e Ônibus comemora 40 anos de sua primeira exportação

Em 1981, na sua primeira exportação, 37 caminhões Volkswagen partiram para seus primeiros destinos internacionais rumo ao Chile, Paraguai e México

A Volkswagen Caminhões e Ônibus comemora neste mês de setembro a sua primeira exportação realizada em 1981. No ano de estreia da empresa, foram exportados 37 caminhões Volkswagen que partiram para seus primeiros destinos internacionais, países que até hoje contam com veículos da marca, como Chile, Paraguai e México. 

“Somos especialistas na oferta de soluções de transporte a países emergentes, sem abrir mão das mais avançadas tecnologias e da melhor relação custo-benefício para frotistas e transportadores autônomos. Nossa rede de lojas fora do Brasil soma mais de 160 pontos de vendas. Parabenizo nosso time de vendas internacionais por mais essa importante marca em nossa história”, diz Roberto Cortes, presidente e CEO da Volkswagen Caminhões e Ônibus.

Foi o começo de uma trajetória de sucesso. Hoje a montadora chega à marca de 160 mil caminhões e ônibus exportados, que podem ser encontrados em mais de 30 países da América Latina, África e Oriente Médio, sempre sob medida. Em 2021, a Volkswagen Caminhões e Ônibus duplicou os embarques no primeiro semestre na comparação com o mesmo período do ano passado, saltando de 2.535 para 5.170 unidades. Uma tendência de recuperação e retomada após um período tão difícil como o início de 2020 com a chegada da pandemia em todo o mundo. 

“Todos os nossos caminhões e ônibus são projetados para atender aos mais rigorosos padrões internacionais, e também com robustez de sobra para se adaptar às mais variadas condições de rodagem mundo afora. Assim, temos muito orgulho de estarmos sempre ampliando nossa lista de destinos”, comenta Leonardo Soloaga, diretor de vendas de mercados internacionais da VW Caminhões e Ônibus.

Com o sucesso das exportações, a montadora constatou que era o momento de expandir suas operações. Assim, em 2004, foi inaugurada a primeira fábrica da VWCO no exterior, localizada na cidade de Puebla, no México – e que em 2010 foi transferida para Querétaro. Lá são produzidos desde caminhões VW Delivery e Constellation aos Volksbus e também modelos MAN. Além disso, a fábrica conta também com 14 concessionárias para dar suporte total a seus clientes pelas ruas e estradas mexicanas.

O conceito sob medida é internacional, até mesmo na produção de seus veículos: a Volkswagen também conta com uma parceria com a MAN Truck & Bus em Pinetown, África do Sul, para a montagem de modelos VW com direção do lado direito para atender aos clientes do país e também da região da África Sub Equatorial. 

São quilômetros de customizações mundo afora. Os caminhões e ônibus Volkswagen se aventuraram em diversas aplicações e adaptações a pedido de clientes, como a venda de ônibus para fretamento na Arábia Saudita: por exigência dos peregrinos que não aceitam nada entre suas cabeças e céu nas viagens a Meca e Medina, os tetos eram removíveis, sem comprometer a estrutura dos veículos.

Além do Brasil, a Volkswagen também já conquistou a liderança de alguns mercados e segmentos em outros países, como o Uruguai, onde a montadora se consagrou líder de mercado pelo quarto ano consecutivo, e Chile, no qual ocupa pela primeira vez a vice-liderança.  

No último ano, a Volkswagen Caminhões e Ônibus também atingiu o marco de cinco mil veículos exportados para a Colômbia, entre caminhões e ônibus.  A empresa iniciou suas exportações para aquele país há pouco mais de 20 anos, em 1997, com o envio de dois chassis Volksbus 8.140. De lá para cá, foram muitos embarques de sucesso, com destaque para o caminhão VW Delivery 9.150, o campeão em exportações da Volkswagen para o mercado colombiano. O grupo Porsche é o representante e importador da marca para a Colômbia.

A montadora também vem avançado e se fortalecendo na América Central. Unidades de caminhões e ônibus da marca já podem ser encontrados cada vez mais em países como Aruba, Costa Rica, El Salvador e Guatemala. A estratégia de expansão das exportações continua forte e a companhia já mira em novos mercados.

Por