Em parceria com o governo alemão, Mercedes-Benz amplia projeto de saúde

A previsão é que os sete semirreboques, sobre os quais serão montadas as unidades móveis com estrutura e equipamentos de saúde, entrem em operação no primeiro semestre deste ano

A Mercedes-Benz do Brasil anunciou hoje (3 de março), em evento online, a cooperação com o governo alemão para a ampliação do projeto de  criação de unidades móveis de saúde. Para essa expansão, a contribuição do governo alemão aumentará para 4,5 milhões de euros (R$ 21,27 milhões). E a Mercedes Benz do Brasil  fornecerá os caminhões para a mobilidade das unidades de saúde, motoristas e recursos internos para administração do projeto, totalizando cerca de um milhão de euros (R$ 6,96 milhões) em força de trabalho (não monetário).

Assim como ocorreu com a Unidade Móvel de Tomografia, implantada em parceria com o CIES Global, as carretas serão projetadas e construídas pela Fleximedical, Labor e Canon, com a entrega prevista para o primeiro semestre de 2021. Essas novas unidades irão agilizar a realização de exames e oferecer consultas médicas em áreas como oncologia, oftalmologia, odontologia e ginecologia, chegando até, em alguns casos, a realizar pequenas cirurgias. Com isso, serão utilizadas para prevenir e tratar outras doenças, além do coronavírus, como já ocorre em São Paulo.

“Agora, com mais sete carretas, podemos ampliar notavelmente o alcance desse auxílio médico e de saúde, indo a localidades mais distantes. Combinando o apoio à saúde e mobilidade, estamos estendendo ainda mais a nossa contribuição e compromisso com a sociedade, ao mesmo tempo em que trabalhamos para todos que movem o mundo”, disse Karl Deppen, presidente da Mercedes-Benz do Brasil e CEO América Latina.

Gerd Müller, ministro de Cooperação Econômica e Desenvolvimento da Alemanha, comentou que o Brasil possui o terceiro maior número de contaminações confirmadas do mundo. “Mais de 250 mil pessoas já morreram com o vírus. Precisamos deixar claro que a Covid-19 só será superada se o vírus for vencido mundialmente. Estamos trabalhando com a Mercedes-Benz para criar oito unidades móveis de saúde que podem ser usadas para diagnosticar infecções por coronavírus e também para outras emergências médicas. Milhares de pessoas já foram alcançadas em uma fase piloto na Grande São Paulo. Agora, estamos expandindo este programa para outras partes do país.”

Os parceiros do projeto e cinco ONGs, como a Sociedade Beneficente Albert Einstein, o CIES Global, a SAS Brasil, a Renovatio e o Instituto Luz para Vida, estão investindo sua expertise e jornada de trabalho para fazer o projeto funcionar.

O investimento adicional, anunciado pela Mercedes-Benz, será destinado à aquisição de sete semirreboques, sobre os quais serão montadas as unidades móveis com estrutura e equipamentos de saúde. Os caminhões Mercedes-Benz, como o Novo Actros, levarão essas carretas a várias regiões do país.

O investimento adicional, anunciado pela Mercedes-Benz, será destinado à aquisição de sete semirreboques, sobre os quais serão montadas as unidades móveis com estrutura e equipamentos de saúde. Os caminhões Mercedes-Benz, como o Novo Actros, levarão essas carretas a várias regiões do país.

O projeto das unidades móveis de saúde também dedica foco especial à saúde do caminhoneiro. Juntamente com a Sociedade Beneficente Albert Einstein, o projeto atenderá os profissionais em rodovias, portos e outros locais de alta concentração de motoristas.

Além de disponibilizar os caminhões, como o Novo Actros, para movimentar as unidades móveis de saúde, entre outros caminhões da marca, a Mercedes-Benz do Brasil é responsável pelo gerenciamento do projeto, mão de obra, direcionamento dos investimentos do DEG (Deutsche Investitions-und Entwicklungsgesellschaft mbH), subsidiária da KfW Bankengruppe, e pela identidade visual dos veículos.  “Nossa expectativa é que mais de 250 mil pessoas sejam atendidas em três anos”, disse Deppen.

Por