Higer Bus apresenta ônibus elétrico urbano para mercado brasileiro

O próximo passo da fabricante chinesa e da importadora brasileira Tevx Motors Group será trazer um ônibus para fretamento em janeiro de 2022 e, em seguida, vans de passageiros e de carga

.

Márcia Pinna Raspanti

A Higer Bus, fabricante chinesa de ônibus elétricos, chega ao mercado brasileiro em parceria com a Tevx Motors Group– empresa especializada em oferecer soluções de transporte limpo, criada para importar os ônibus e prestar serviços de pós-venda e de peças de reposição.

O primeiro modelo a ser apresentado aos operadores brasileiros é Azure A12BR, um urbano elétrico (tipo básico da SPTrans) de 12 metros. “O ônibus é integral, ou seja, não é uma carroceria montada sobre o chassi, como costuma ser feito no Brasil. Isso torna o modelo mais leve, cerca de 1,5 tonelada. O ônibus foi totalmente adaptado às normas brasileiras e adequado para as demandas das empresas daqui”, explica Marcelo Barella, diretor geral da Higer Bus para América do Sul.

Barella destaca que o modelo faz parte da linha mais moderna produzida pela Higer, com tecnologia de última geração. “O Azure oferece uma autonomia maior que chega a 270 quilômetros, o que é importante em um país continental como o nosso, com grandes cidades e longas distâncias. Outra vantagem é a acessibilidade, pois o modelo é de piso baixo, sem degraus”, informa.

Com capacidade para 70 passageiros, o Azure deverá começar a circular pelas ruas da capital paulistana ainda no primeiro semestre de 2022. “Todos os equipamentos possuem ar-condicionado, maior espaço entre as poltronas e sistemas de segurança avançados, além de terem suas baterias recarregadas completamente em apenas três horas”, acrescenta Barella.

Os veículos da Higer Bus serão ofertados às concessionárias operadoras de transporte urbano por meio de contratos de locação, com duração de 15 anos. “Trata-se de importante incentivo para a renovação da frota, pois no pacote mensal já estão incluídas peças, manutenção, energia e estrutura de abastecimento, e a troca de bateria a cada oito anos. É o melhor pacote do mercado”, afirma Celso Antonio Barreto, sócio diretor da Tevx Motors Group.

Segundo Barella, a Higer Bus planeja a nacionalização da ofertas de peças em cerca de dois anos. “Nossos fornecedores têm fábricas instaladas no Brasil, como ZF, Dana, Valeo, Bosch, Siemens. Isso vai facilitar o acesso às peças para manutenção e baratear os custos. E até 2023, queremos utilizar os componentes fabricados aqui para terminar de montar o ônibus. Isso garante uma transferência de tecnologia importante para o país”, conta.

O próximo passo será trazer para o mercado brasileiro, em janeiro de 2022, um modelo Azure para fretamento, com a mesma autonomia do ônibus urbano. E em seguida, ainda no primeiro semestre do próximo ano, trazer vans de carga e de passageiros. “O fretamento contínuo é um segmento importante. Muitas empresas que buscam redução na emissão de carbono poderão fazê-lo no transporte de funcionários, com ônibus elétricos”, pontua o executivo.

A Higer Bus foi fundada em 1998 e já produziu 316 mil veículos, sendo mais de 30 mil modelos elétricos. “Há aproximadamente dois anos pesquisamos fábricas que tenham capacidade de produzir veículos elétricos adequados às necessidades do mercado nacional. A Higer Bus se mostrou um player que além de ter alta capacidade de produção pode adequar seu produto para que as peças de reposição sejam de marcas presentes no Brasil, o que facilita a manutenção dos carros e reduz os custos, trazendo ainda mais benefícios para os operadores de transporte que irão renovar a frota”, diz Barreto.

Com uma receita anual de US$1,5 bilhão e capacidade para produzir anualmente 35 mil ônibus, a Higer Bus exporta cerca de 30% da sua produção para mais de 120 países.

“A Higer Bus se comprometeu a fazer inicialmente investimentos da ordem US$10 milhões junto ao C40, no Projeto Zebra, para a criação de infraestruturas de produção de modo a atender ao grande potencial deste mercado em nosso país”, observa Barella.

Tevx e Higer Businiciarão, em breve, o treinamento das equipes técnicas para realizar manutenção e verificações de segurança dos ônibus, bem como para os motoristas.

Por