Bosch investirá mais de 400 milhões de euros em suas fábricas de semicondutores em 2022

A maior parte deste valor será destinada à expansão da fábrica de semicondutores em Dresden, Alemanha, e cerca de 50 milhões de euros serão destinados à expansão da fábrica de Reutlingen, próximo a Stuttgart, também na Alemanha

Poucos meses depois da abertura da fábrica de produção de semicondutores em Dresden, na Alemanha, a Bosch anuncia o investimento de 400 milhões de euros em 2022 para a expansão das fábricas de Dresden e Reutlingen, também na Alemanha, e em um novo centro de teste para semicondutores em Penang, na Malásia. “As demandas por semicondutores crescem em uma velocidade vertiginosa. Por conta dos desenvolvimentos recentes, estamos expandindo exponencialmente a nossa produção de semicondutores para atender os nossos clientes da melhor forma”, afirma Volkmar Denner, CEO mundial da Bosch.

Deste investimento, a maior parte será destinada à expansão da fábrica de semicondutores em Dresden. Cerca de 50 milhões de euros serão destinados à expansão da fábrica de Reutlingen, próximo a Stuttgart, e 150 milhões em novas salas limpas (clean-rooms) para procedimentos industriais entre 2021 e 2023. Por fim, a Bosch construirá um centro de teste em Penang, na Malásia, que a partir de 2023 poderá testar os sensores e chips semicondutores. “Esses investimentos demonstram, mais uma vez, a importância estratégica de ter nossa própria capacidade produtiva para a tecnologia core de semicondutores”, complementa Denner.

“Nosso objetivo é aumentar a produção de chips em Dresden antes do planejado e, ao mesmo tempo, expandir a capacidade de salas limpas em Reutlingen. Todo chip adicional produzido irá ajudar na situação atual”, diz Harald Kroeger, membro da direção mundial do Grupo Bosch GmbH. “Já expandimos nossa capacidade de fabricação de semicondutores de 200 milímetros em cerca de 10%”, diz Kroeger. A segunda etapa da expansão visa criar mais 3.000 m² de salas limpas até ao final de 2023.

A primeira expansão foi destinada para atender ao aumento da demanda por sensores MEMS e semicondutores de potência de carboneto de silício e, ao todo, o investimento já ultrapassou 50 milhões de euros neste ano. Já para a segunda etapa, a empresa investirá cerca de 50 milhões de euros nos próximos dois anos.

A microeletrônica é um fator chave para o sucesso de todas as áreas de negócios da Bosch. Por conta do grande potencial deste ramo, a empresa já produz semicondutores há 60 anos. Devido ao conhecimento profundo de microeletrônicos e a expertise em softwares e eletrônica, a Bosch é uma das poucas empresas que pode combinar esta vantagem competitiva com a fabricação de semicondutores para atender a demanda de eletrônicos de consumo e de aplicações automotivas.

A produção de semicondutores na fábrica de Dresden começou em julho deste ano – seis meses antes do planejado – para atender ao segmento de ferramentas elétricas da Bosch e, para clientes do setor automotivo, a produção de chips começou em setembro, também três meses antes do programado. “A Bosch pode usar de sua experiência em semicondutores e no setor automotivo para desenvolver sistemas eletrônicos modernos que geram diversos benefícios e ajudam a garantir uma mobilidade mais segura e eficiente no futuro”, complementa Kroeger.

Por