Márcio D’Agosto, coordenador técnico do Programa de Logística Verde Brasil (PLVB) e um dos convidados do II Fórum Transporte Sustentável: “Há empresas que ainda não estão convencidas que devem ser as protagonistas deste processo de mudança”

A segunda edição do II Fórum Transporte Sustentável, totalmente online, será realizada no dia 14 de outubro e contará com diversos especialistas e profissionais do setor de logística e transporte.

Transporte Moderno Quais os temas que o senhor destacaria no II Fórum Transporte Sustentável?

Márcio D’Agosto – Matriz energética dos transportes e seu impacto na sustentabilidade; sustentabilidade e escolhas tecnológicas; práticas integradas de ESG (economia competitiva, sustentabilidade ambiental e metas de inclusão social e governança).

Transporte Moderno – Poderia explicar brevemente no que consiste o Programa de Logística Verde Brasil (PLVB)?

Márcio D’Agosto – Criado com o intuito de promover a transformação da logística em busca da eficiência e da sustentabilidade por parte de empresas que atuam em diversos mercados no Brasil, o Programa de Logística Verde Brasil (PLVB) tem reforçado seu compromisso com a responsabilidade socioambiental corporativa capturando, integrando, consolidado e aplicando conhecimentos com o objetivo inicial de reduzir o consumo de energia, as emissões de gases de efeito estufa (GEE) e de poluentes atmosféricos, e, principalmente, aprimorar a eficiência da logística e do transporte de carga no Brasil. É o único programa brasileiro que reúne transportadores, operadores logísticos e embarcadores na promoção da eficiência e sustentabilidade logística.

Transporte Moderno Em cinco anos de PLVB, como o senhor avalia a receptividade do setor de transporte e logística ao conceito de sustentabilidade?

Márcio D’Agosto – Houve um crescente interesse pelo mercado nas questões de sustentabilidade em transporte de carga e logística e ao longo de cinco anos o PLVB contou com a participação e envolvimento de cerca de 50 empresas e mais de 100 profissionais na construção do legado que está sendo promovido pelo programa. Semanalmente recebemos consultas de novas adesões e a despeito da situação instável que o mundo e o país passam, por conta da pandemia do Covid-19, somos consultados frequentemente sobre como praticar a sustentabilidade do transporte de carga e na logística. Percebemos que a evolução deste quadro está levando a uma demanda crescente em considerar o trinômio ESG na gestão dos negócios e as empresas que não passarem a esta prática perderão competitividade. Além disso, ser sustentável usualmente significa ser mais eficiente e portanto ter maior competitividade em custos.

Transporte Moderno – Quais os principais obstáculos para a adoção de uma logística verde e sustentável no Brasil?

Márcio D’Agosto – Há empresas que ainda não estão convencidas que devem ser as protagonistas deste processo de mudança (que já é uma realidade) e não estão se antecipando à nova realidade do mercado por falta de entendimento de que existe um forte alinhamento entre as práticas de sustentabilidade e consolidação dos seus negócios e que estas práticas tornam os resultados mais sólidos, duradouros e consistentes. Assumir o protagonismo da mudança fará com que possam conduzir a ampliação do sucesso em seus negócios e estimular seus parceiros na mesma prática. Adicionalmente, ainda identificamos a falta de conhecimento técnico que capacite os profissionais que atuam nestas empresas a enxergar as melhores formas de adequar as suas atividades cotidianas às práticas sustentáveis, muito embora, em alguns casos já estejam fazendo isso de forma intuitiva, porém, carente de valorização.

Transporte Moderno É possível incorporar a logística verde ao setor, sem maiores impactos negativos nos custos de operação? Ou esse retorno virá no longo prazo?

Márcio D’Agosto – Ocorre de tudo, porém, se houver conhecimento para incorporar a logística verde ao setor, os benefícios sempre ultrapassam os “custos”. A maior parte das práticas apresentadas pelo PLVB no seu guia de referência em sustentabilidade reduzem custos, e isso pode ser no curto prazo, como treinamento de motoristas, rastreamento e telemetria da operação, otimização do carregamento do veículo, logística colaborativa. Outras trarão melhores benefícios no longo prazo como adequação do porte do veículo, transferência modal, investimento em novas tecnologias. É importante diferenciar investimento, que é um gasto presente com perspectiva de ganho futuro, de custo, que é uma despesa realizada para a prática de um serviço.

Transporte Moderno O senhor poderia citar um case de empresa que adotou a sustentabilidade como valor?

Márcio D’Agosto – Temos vários casos. Com 35 anos de atuação em transporte e logística, a Transcota aderiu ao PLVB para compartilhar de um seleto conjunto de boas práticas. Dentro de uma cultura de produção mais limpa, a sustentabilidade é valorizada pelo controle apurado das operações da frota, incluindo rastreamento via satélite e treinamento de motoristas, chegando ao uso de vans elétricas e até ao desenvolvimento de um super drone.

Por valorizarem as melhores práticas de sustentabilidade que ajudaram a construir na logística e no transporte de cargas, as transportadoras que atuam como membros do Programa de Logística Verde Brasil (PLVB) têm conquistado premiações em diferentes áreas. É o caso da Jomed Transportes e Logística, que conquistou o 6º Prêmio de Sustentabilidade do Setcesp & Transporte Moderno na Categoria Responsabilidade Ambiental, sendo também premiada neste concurso a RG LOG, na categoria Gestão Econômica e Sustentável.

A RG LOG também se destacou no Prêmio BBM Projeto de Logística 2020 na Categoria Socioambiental. Mantendo a tradição, a OTD Brasil foi mais uma vez outorgada com o Selo Clima Paraná – Edição de 2020 na Categoria Original pelo empenho no acompanhamento de seus relatórios de emissão de gases de efeito estufa e pelo Projeto Estradas com Araucárias. Estes são alguns exemplos que demonstram que as transportadoras membro do PLVB estão prontas para iniciar o processo de reconhecimento para o selo verde em transporte de carga, com possibilidade real de boas colocações.

Com uma trajetória de empreendedorismo e inovação, a Carsten Serviços – Transportes e Logística aderiu ao PLVB reconhecendo o valor na prática da sustentabilidade em logística. Sua frota própria nova e todos os dispositivos de controle operacional e programas de treinamento de motoristas garantem o máximo de eficiência atuando nos segmentos de transferência e distribuição de cargas.

A Jomed Log foi uma das primeiras empresas de transporte e logística do Brasil a apostar no caminhão a gás natural. Não só porque os próprios embarcadores passaram a exigir de seus parceiros um olhar mais sustentável para toda a cadeia de negócios, mas principalmente por pensar que esta é a trajetória para o transportador do futuro.

Por