Coopercarga investe em veículos elétricos e movidos a GNV

Veículos já estão em operação nas ruas de São Paulo e Rio de Janeiro

Não é segredo que a Coopercarga investe constantemente em soluções sustentáveis para os negócios, com a aquisição de caminhões movidos a GNV e veículos elétricos. Recentemente, a operação de Duque de Caxias com o cliente L’Oréal está transportando ecologia, com um caminhão movido a GNV. A empresa entende que uma das suas grandes responsabilidades é minimizar os impactos ambientais que o transporte gera, garantindo uma cadeia de distribuição mais consciente com uma gestão de sustentabilidade, parceiros e ações sobre o tema, contribuindo com os objetivos da empresa. 

Segundo Michele Feitoza, gerente da filial de Duque de Caxias, o cliente atua fortemente no desenvolvimento sustentável, priorizando seus parceiros que investem na logística verde. “Com o incremento da carreta nas operações, a Coopercarga entra no grupo de transportadores que aderiram ao programa L’Oréal para o futuro. Para nossa filial, o investimento foi importantíssimo, tornando essa parceria mais forte, olhando para o futuro com novas oportunidades voltadas à sustentabilidade”.

Em Arujá, São Paulo, alguns veículos verdes estão ganhando as ruas. Os veículos na operação Coopercarga/Boticário são 100% elétricos e entregam muito mais que sucesso, eles reforçam nosso valor de ser uma empresa que preza por alternativas sustentáveis. Segundo André Vieira, gerente de projetos, os veículos elétricos tem tido cada vez mais relevância nas operações de distribuição urbana devido à não emissão de CO2 na atmosfera, melhora na condição de trabalho dos nossos motoristas devido à redução significativa no nível de ruídos do veículo durante a operação de entrega, redução de desgaste devido à alta tecnologia empregada nestes veículos. 

Mais que benefícios imediatos, essas atitudes deixam um legado para as futuras gerações. Osni Roman, presidente da Coopercarga, reforça que a empresa está sempre inovando e comentou que às vans, serão guiados por mulheres. “Na operação, já temos duas motoristas e, em breve, novas motoristas estarão à frente dos veículos elétricos”. 

Por