Asia Shipping aposta no segmento automotivo

No ano passado, a companhia transportou cerca de cinco mil contêineres para a Caoa Chery, um dos principais clientes da empresa no setor automotivo, e a meta é que este volume cresça 20% neste ano

A Asia Shipping atua na gestão de processos logísticos de mercadorias, utilizando os modais aéreo, marítimo e rodoviário, e espera fechar o ano com um crescimento acima de 10% no volume de cargas na importação e 15% na exportação. Atualmente, as principais cargas transportadas pela empresa são: eletrônicos, farmacêutico e automotivo. Em termos de faturamento, a expectativa é de 10% de incremento.

Para crescer no ritmo desejado, a Asia Shipping quer ampliar a participação nos segmentos automotivo e farmacêutico. Em fevereiro, a empresa transportou pelo modal aéreo dois milhões de vacinas contra a Covid-19 da China para o Chile, considerando todas as especificidades e exigências para garantir um deslocamento seguro, em temperatura adequada de refrigeração.

Um dos principais clientes da empresa do setor automotivo é a Caoa Chery. Apesar do cenário desafiador, a montadora atravessou a turbulência e encerrou 2020 com crescimento de 35% de participação no mercado, ou seja, 1,03% de market share contra os 0,76% no ano anterior. Com 20.089 veículos comercializados, a marca se consolidou ainda na 11ª colocação no ranking das montadoras nacionais, superando, em apenas três anos de história, empresas que atuam há décadas no mercado brasileiro.

A aproximação das empresas começou em 2019, quando a montadora buscava um parceiro estratégico para trazer da China componentes que seriam utilizados na fábrica de Anápolis, em Goiás. “Precisávamos de um parceiro que tivesse grande experiência no transporte de carga internacional e que, ao mesmo tempo, fosse ágil suficiente para atender a nossa crescente demanda. Às vezes, a aceitação do produto é maior do que planejamos e não podemos frustrar a expectativa do consumidor”, afirma Mauro Luis Correia, CEO do Grupo Caoa, que também comemora a marca de 50 mil veículos produzidos no Brasil desde o fim de 2017, quando houve o acordo entre a chinesa Chery e o Grupo Caoa.

No ano passado, a Asia Shipping transportou cerca de cinco mil contêineres para a Caoa Chery, volume que deve crescer 20% em 2021. Segundo o CEO da companhia, Alexandre Pimenta, o conhecimento do mercado chinês, associado às novas tecnologias digitais implementadas pela empresa para agilizar os processos logísticos, foi determinante para desenvolver uma estratégia bem-sucedida para a fabricante que lançou dois modelos em plena pandemia: o sedan Arrizo 6 e o SUV Tiggo 8, que chegaram às concessionárias em julho e agosto, respectivamente.

Além dos fornecedores nacionais, o CEO do Grupo Caoa lembra que a indústria automotiva conta com a importação de peças. “Se não houvesse um processo logístico eficiente, não conseguiríamos lançar novas marcas no mercado brasileiro, nem mesmo manter a produção para atender as demandas locais. É importante trabalhar com uma empresa que se dedique à resolução de problemas que poderão surgir na cadeia logística.”

Para 2021, a Caoa Chery projeta um incremento em vendas na ordem de 70%. Só em janeiro deste ano, a marca registrou crescimento de 36,6% na comparação com janeiro de 2020. A expectativa é atingir 2% de market share até o final do ano com novos lançamentos e expansão da rede de concessionárias, de 113 lojas para 150.

Por