Valter Viapiana, diretor comercial da Volvo Financial Services Brasil: “2021 será mais um ano desafiador, com os negócios voltando aos poucos, à medida em que as empresas melhorem seu fluxo de caixa”

No ano passado, 11% dos financiamentos foram para ônibus, que teve 85% das operações por meio do Finame; 80% foram para caminhões e 9% para equipamentos de construção

Transporte Moderno – Diante da atual crise sanitária, qual a expectativa do Banco Volvo para 2021?

Valter ViapianaSerá mais uma vez um ano desafiador, mas estamos confiantes de que, se o mercado de transporte continuar neste mesmo passo, poderemos até superar os volumes de financiamentos, consórcio e seguros registrados em 2020.

Transporte Moderno – O Banco Volvo está confiante na retomada econômica do país?

Valter ViapianaSim. Acreditamos que este ano deverá ser melhor que 2020, uma vez que os indicadores econômicos apontam para um cenário melhor. Alguns setores estão contribuindo para melhorar esse ambiente, como o agronegócio, a construção e a mineração. Eles estão indo bem e deverão contribuir para aumentar as vendas de caminhões e de equipamentos de construção.

Transporte Moderno – A partir de quando o Banco Volvo espera que os negócios comecem a ser normalizados com os seus clientes?

Valter ViapianaÉ muito difícil fazer estimativa precisa de quando o mercado se normalizará, uma vez que depende de uma série de fatores, a começar pela imunização de grande parte da população brasileira. Será mais um ano desafiador, com os negócios voltando aos poucos, à medida que as empresas melhorem seu fluxo de caixa. Acreditamos que será uma retomada gradual.

Transporte Moderno – Qual o total da carteira de clientes do Banco Volvo? Quantos são contratos ativos?

Valter Viapiana Temos aproximadamente oito mil clientes ativos, com mais de 18 mil contratos vigentes.

Transporte Moderno – Do total de recursos liberados pelo banco Volvo em 2020, quanto foi para ônibus e caminhões?

Valter Viapiana No ano passado, 11% dos financiamentos foram para ônibus, 80% para caminhões e 9% para equipamentos de construção.

Transporte Moderno – Além da participação recorde do consórcio, qual modalidade de financiamento teve maior procura pelos clientes?

Valter Viapiana Levando-se em consideração todos os produtos (caminhões, ônibus e equipamentos de construção), o CDC representou 60% e o Finame 40%.

Transporte Moderno – No segmento de ônibus, quanto representou o CDC, o Finame, o Leasing e o Refrota?

Valter Viapiana O Finame representa 85% das operações de financiamento para ônibus. Os clientes preferem esta modalidade, em razão dos prazos, às vezes mais longos, e porque, diferente do CDC, a amortização é constante. Ou seja: as parcelas vão caindo ao longo do tempo. Então, quando os ônibus ficam mais velhos e precisam de mais manutenção, por exemplo, a parcela de financiamento é menor e consequentemente os operadores têm mais condições para fazer a manutenção, seja na concessionária ou em oficinas próprias.

Transporte Moderno – Quanto o banco contabilizou de clientes em 2020 e quantos veículos foram financiados? Quanto foi ônibus e caminhões?

Valter Viapiana Incluindo todos os produtos (caminhões, ônibus e equipamentos de construção) o Banco Volvo financiou 40% das vendas da Volvo. Tivemos um recorde histórico em financiamentos, com R$ 2,89 bilhões em novos negócios e nossa carteira aumentou 27,5%.

Transporte Moderno – A pandemia mudou o comportamento dos clientes na hora de escolher a modalidade de financiamento e os prazos de pagamento?

Valter Viapiana Não houve nenhuma mudança significativa. Eventualmente houve migração de alguns clientes do Finame para o CDC e vice versa, em razão dos juros mais competitivos em cada uma das modalidades. Às vezes o CDC é mais competitivo que o Finame ou o inverso. Isso faz os clientes procurarem a melhor alternativa em cada momento.

Por