Antonio Ruyz, CEO da TransRuyz Transportes: “Ao acelerar a economia, o transporte é um dos primeiros a sentir os efeitos deste processo, fomentando possíveis investimentos do setor”

“Precisamos buscar o crescimento que não ocorreu em 2020 com muito trabalho e muita dedicação”, afirma o executivo.

Transporte Moderno – Como foi 2020 para a empresa? Que segmentos estiveram mais aquecidos e demandaram mais os serviços da companhia?

Antonio Ruyz – Para a empresa foi um ano bem desafiador, pois vivenciamos um momento de pandemia. Iniciamos 2020 com muito otimismo e força de vontade. Realizamos investimentos em novos equipamentos, mas fomos surpreendidos por uma pandemia que começa a ganhar força no país a partir de março, resultando em um primeiro semestre que acabou prejudicado. O mercado interno acabou fechando, veio o lockdown e, com isso, não conseguimos atingir nossas expectativas. Entretanto, no segundo semestre, com a abertura dos estados e municípios e o reaquecimento da economia, começamos a transportar novamente da forma que vínhamos fazendo antes da pandemia. O segundo semestre foi melhor e com mais transportes realizados.

Na TransRuyz conseguimos perceber o transporte de gases e de oxigênio com números mais elevados devido à pandemia. No primeiro semestre, tivemos o transporte de café também ficou bem aquecido. O agronegócio em modo geral, seja commodities ou de produtos derivados do boi, que nós transportamos bastante, esteve bem movimentado, principalmente no segundo semestre, no qual pudemos observar um movimento de volta ao normal.

Transporte Moderno – Quais os planos da empresa para 2021? Há investimentos ou novos serviços previstos?

Antonio Ruyz – Sempre nos mantemos otimistas e confiantes, portanto nossos planos e expectativas para 2021 são sempre os melhores, mesmo com todas as dificuldades e incertezas. Nós da TransRuyz estamos aguardando como vai ser o resultado do primeiro trimestre de 2021, assim poderemos ter uma projeção de como vai se comportar a economia do país. Estamos vivenciando um momento de instabilidades, principalmente no aspecto político, o que gera desconfiança para o investidor e para o mercado. Estamos pensando em fazer investimentos, mas não sem antes avaliar como será o desempenho do país neste começo de ano. A projeção do PIB este ano é superior à 3%, se isso realmente acontecer, o transporte demanda cerca de 6%, pois somos um país altamente dependente do modal rodoviário, então, ao acelerar a economia, o transporte é um dos primeiros a sentir os efeitos deste processo, fomentando possíveis investimentos do setor.

Transporte Moderno – Quais os principais investimentos feitos em 2020?

Antonio Ruyz – Fizemos investimentos em equipamentos para a empresa, em implementos rodoviários no começo de 2020. Fizemos, também, aquisições de novas configurações de carretas que nós ainda não tínhamos. Outro investimento feito ao longo do ano foi nas pessoas, pois tivemos de trazer segurança e conforto neste momento de muitas incertezas devido à pandemia. Fizemos questão de investir nas pessoas pois nenhuma empresa se faz sem elas.

Transporte Moderno – Qual a estratégia da empresa para superar as dificuldades trazidas pela pandemia?

Antonio Ruyz – Primeiro há de se ter muita paciência e resiliência. Como estávamos enfrentando algo novo, a única forma de agir era lidar com um dia de cada vez. Entretanto, logo fomos ganhando um pouco mais de domínio da situação e adquirindo mais conhecimento sobre quais eram os meios por meio dos quais deveríamos nos cuidar. As incertezas foram nossas maiores dificuldades. Quanto tempo ficaríamos em lockdown? Quanto tempo iria durar a pandemia? Como o mercado iria se comportar? Sempre temos que ficar de olho no mercado interno e externo, pois os efeitos acabam sendo sentidos por todos de um jeito ou de outro.

Transporte Moderno – A pandemia deve continuar a afetar o setor e a empresa? De que forma?

Antonio Ruyz – A partir do segundo semestre de 2020, a pandemia não servia mais como muleta e desculpa para as coisas não estarem acontecendo. Acredito que com a vacinação acontecendo e a expectativa da imunização em médio prazo, os efeitos da pandemia sobre o transporte, e sobre os outros setores, serão menores do que os sentidos em 2020. Acho que vamos conviver com a pandemia durante todo o ano de 2021, mas com uma segurança e tranquilidade em estar circulando com os caminhões e recebendo pessoas. 

Transporte Moderno – Em 2021, a empresa espera crescimento? Quais as projeções da empresa?

Antonio Ruyz – Em 2021, esperamos evolução, o qual buscamos continuamente. Temos uma perspectiva de crescimento na faixa de 20% e 25%, desde volume de cargas até o faturamento, sendo uma consequência do outro. Precisamos buscar o crescimento que não ocorreu em 2020 com muito trabalho e muita dedicação.

Por