Porto Itapoá movimentou 440 mil contêineres em 2020

O resultado de 2020 ficou nos mesmos patamares de 2019 devido à crise causada pela pandemia por Covid-19, mas o último trimestre mostra boa recuperação

O porto Itapoá, em Santa Catarina, que chegou a movimentar apenas quatro mil contêineres de importação no mês de junho, chegou a 12 mil unidades por mês, em novembro e dezembro. Como comparação, nos três últimos meses de 2020 o terminal recebeu 35 mil contêineres de importação, praticamente o dobro das movimentações do segundo e terceiro trimestre, representando crescimento de 10% em relação ao último trimestre de 2019.

Na exportação, contudo, houve estabilidade na movimentação, com média de pouco mais de sete mil unidades movimentadas por mês. Em termos gerais, no último trimestre do ano, o porto observou fortes sinais de recuperação, com um crescimento de 5% em relação ao mesmo período de 2019 e dezembro registrou aumento de 26% em relação ao mesmo mês do ano anterior.

Desde o início das operações, em junho de 2011, Itapoá sempre apresentou crescimento na movimentação ano a ano, finalizando 2020 entre os cinco maiores portos do país.

A análise dos números de tonelagem abrangendo os complexos portuários de Santa Catarina, a Baía da Babitonga, que contempla os portos de São Francisco do Sul e Itapoá, registra a maior movimentação do estado. O complexo portuário da Babitonga representa 60% de todas as cargas (em tonelagem) que passam pelos portos catarinenses.

Esses números refletem diretamente no desempenho da economia da região. Recentemente, o IBGE divulgou as cidades mais ricas do sul do país, com Joinville ocupando a terceira posição na região e a primeira posição em Santa Catarina, com crescimento de cerca de 12% em relação ao ano anterior. O fluxo logístico e de comércio exterior, proporcionado pelos portos da Baía da Babitonga, são influenciadores diretos para esse desenvolvimento e, por consequência, para a geração de emprego e renda na região norte catarinense.

Por