A JSL prossegue em sua estratégia de crescimento com a aquisição da operadora logística TPC

Com esta nova aquisição a JSL amplia ainda mais sua liderança em transporte e logística na América do Sul; a empresa Vamos, do mesmo grupo da JSL anunciou hoje (dia 29) a abertura de capital

A JSL firmou contrato de aquisição da operadora logística TPC (Pronto Express Logística S.A.), empresa que opera em modelo asset-light (“leve em ativos”) focada na operação de armazéns alfandegados ou não, logística dedicada in house, cross docking e gestão integrada de distribuição, incluindo a última milha (“last mile”) e logística reversa.

O contrato prevê a aquisição pela JSL de 100% da TPC por R$ 288,6 milhões de Enterprise Value (“EV”), valor que será ajustado com base na dívida líquida, capital de giro e outros ajustes na data de fechamento da transação. Em 2020, a TPC apresentou receita líquida de R$ 415 milhões, Ebitda de R$ 57,5 milhões, lucro líquido de R$15,4 milhões e um índice de alavancagem de dívida líquida/Ebitda de 1,9 vezes.

Fundada em 2001, a TPC atua principalmente nos setores de cosméticos, moda, varejo, eletroeletrônicos, telecomunicações, farmacêutico, equipamentos hospitalares, bens de consumo, óleo e gás, e petroquímico. Conta com 850.000 m2 de armazéns em operação em 24 estados e mais de 5 mil colaboradores. Sua base de clientes inclui líderes em seus segmentos, como Natura (cliente há mais de dez anos), Puma, Alpargatas, 3M, Braskem, Whirpool, Claro, 3M, Chanel, além da prefeitura de São Paulo. Em 2019, a TPC foi eleita como Melhor Operador Logístico pela ABOL (Associação Brasileira de Operadores Logísticos) e Editora OTM, além de prêmios recebidos dos seus principais clientes, como Natura, Avon, Claro e Infraero.

Segundo o comunicado divulgado pela JSL, a transação reflete a disciplina de execução de sua estratégia de aquisições, que busca o retorno sobre o investimento adequado, valoriza o relacionamento de longo prazo com clientes e a qualidade dos serviços prestados, da gestão e, principalmente, da equipe da TPC. “A combinação com a TPC adiciona escala e traz sinergias ao negócio de armazenagem e logística interna da JSL e soma ao portfólio novos serviços como as operações dedicadas in house e a distribuição fracionada de encomendas”, afirma Fernando Simões, presidente da JSL. “A aquisição faz parte do nosso planejamento estratégico de crescimento. A empresa foi escolhida por possuir uma gestão muito qualificada e relacionamento de longo prazo com os clientes. É um negócio extremamente complementar ao nosso. É bastante forte em armazenagem e na última milha. Isso acaba contribuindo para a expansão em diferentes segmentos de mercado.”

“A integração da TPC à JSL agrega operações complementares ao grupo, já que a empresa nasceu como operador logístico propriamente dito, com sistema de gerenciamento de armazenagem. Esse DNA da TPC e a expertise em armazenagem vão contribuir para o crescimento da JSL, que enxergo como uma grande força no transporte de cargas. Os clientes da JSL também poderão utilizar as plataformas tecnológicas da TPC para tornar suas operações mais eficientes”, observa Luis Chamadoiro, vice-presidente comercial da TPC.

A estratégia da compra da TPC é explicada no comunicado pelas complementariedades e sinergias resultantes da transação, que incluem a oportunidade de cross selling para a JSL e o fortalecimento da TPC no transporte rodoviário de cargas dada a experiência e densidade de frota da JSL. Além disso, os 850.000 m2 de armazéns da TPC localizados em 24 estados aumentam a oferta para os clientes JSL em localidades que não esta não possui serviços de armazenagem bem como potenciais sinergias onde as duas empresas possuem operações. Outro elemento extremamente complementar ao portfólio de tecnologia da JSL é a Logistics Integrated System (“LIS”) da TPC, que é plataforma para inteligência e controle de gestão completa e integrada da cadeia de distribuição da fábrica ao cliente final, com base em algoritmos avançados e inteligência artificial, e trará um diferencial na última milha de distribuição. Conjuntamente, as operações de distribuição urbana na última milha da JSL, Fadel (recém-adquirida) e TPC serão responsáveis por 56 mil entregas por dia.

Em seus principais serviços, a TPC destaca-se também em operação logística dedicada. Com a gestão de centros de distribuição multiclientes e abastecimento de fábricas para os segmentos de saúde, telecomunicações, automotivo e bens de consumo.

Com esta aquisição, acrescenta o comunicado divulgado ao público, a JSL expande sua participação como operador logístico no last mile, aumenta a presença no Nordeste, estratégica para a densidade do transporte rodoviário, e adiciona novos clientes, segmentos, modelo de gestão e tecnologia fullcommerce ao seu portfólio de serviços. Além disso, a TPC também está alinhada com os valores da JSL e da Simpar (holding da JSL) ao valorizar a sua equipe como principal diferencial, o relacionamento de longo prazo com seus clientes e os princípios rígidos de gestão, governança e integridade. Com esta nova aquisição, JSL amplia sua liderança absoluta no setor como o maior e mais integrado portfólio de serviços logísticos da América do Sul.

Grupo Vamos

O Grupo Vamos, companhia especializada em locação de caminhões, máquinas e equipamentos, da holding Simpar, controladora da JSL, concluiu hoje sua oferta pública inicial (IPO).

Destaque em seu setor, o Grupo Vamos tem hoje mais de 15 mil veículos locados e conta com uma extensa rede de concessionárias no país, com mais de 40 lojas próprias das marcas Transrio (Volkswagen Caminhões e ônibus), Valtra (máquinas e equipamentos agrícolas) e Komatsu (máquinas e equipamentos de linha amarela), além da rede de lojas Seminovos.

“A chegada do Grupo Vamos à bolsa de valores é motivo de comemoração para todo o mercado. Essa nova listagem amplia o portfólio de ativos disponíveis e atende uma demanda crescente dos investidores em busca de diversificação”, destacou Gilson Finkelsztain, presidente da bolsa de valores B3.

“O IPO marca um novo ciclo de crescimento, ainda mais promissor para o cliente e a companhia. Nossa missão é oferecer alternativas inovadoras para o desenvolvimento de modernização da frota brasileira de caminhões e ônibus”, celebrou Gustavo Couto, CEO do Grupo Vamos.

Os recursos captados pela oferta do Grupo Vamos serão direcionados para financiamento da frota para atividades de locação de caminhões, máquinas e equipamentos.

Por