Com maior calado operacional, TCP recebe um dos maiores navios a atracar na costa brasileira

O porta-contêineres Seaspan Harrier, do armador ONE, atracou em Paranaguá na quarta-feira (13); com origem na Ásia, o navio é um dos maiores em capacidade a atracar no Brasil

Depois de ter o calado operacional ampliado, a TCP – empresa que administra o Terminal de Contêineres de Paranaguá, recebeu o navio Seaspan Harrier, do armador ONE. O navio, que tem 330 metros de comprimento e capacidade para 11.923 TEU, é um dos maiores a atracar na costa brasileira e chegou a Paranaguá no último dia 13. Comumente, os navios que atracam no porto paranaense possuem capacidade média de 9 mil TEU.

Com origem na Ásia, o Seaspan Harrier partiu da Ásia onde escalou portos na China e Coréia do Sul e segue para a Argentina e Uruguai, com nova escala em Paranaguá. Entre os produtos de importação, estão equipamentos eletrônicos, painéis solares, partes e peças automotivas e produtos químicos; na exportação, os principais produtos são carnes congeladas, celulose, grãos e couro.

“Esse é o momento da materialização do esforço conjunto que a empresa fez com vários atores como a autoridade portuária, praticagem e Marinha do Brasil para aumentar a capacidade de Paranaguá. A TCP trabalha para se consolidar como um operador de classe mundial e um dos principais hubs marítimos da América do Sul e esse ganho é mais um passo em direção a esse objetivo”, explica Thomas Lima, diretor comercial da empresa.

O novo calado operacional da TCP foi aprovado em dezembro de 2020, passando de 11,80 metros para 12,10 metros, um aumento de 30 centímetros. A nova medida vale para os berços 217 e 218, podendo ser ampliado para o berço 216, o que garante aos clientes maior disponibilidade e espaço para embarques.

“Para a ONE, o aumento de calado representa mais flexibilidade e agilidade operacional nos recebimentos dos grandes navios, além de possibilitar mais capacidade de movimentação. Certamente a parceria com a TCP tende a aumentar após este aumento de profundidade”, afirma Gláucio Vargas, gerente comercial da ONE.

Para que a marca fosse possível, o porto de Paranaguá passou por obras de dragagem de aprofundamento, realizadas entre 2017 e 2018. Em 2020, foram realizadas as aprovações pela  Marinha do Brasil, em um trabalho liderado pela autoridade portuária com auxílio da TCP e outros segmentos do porto paranaense.

Por