Portos do Rio Grande do Sul divulgam balanço do ano de 2020

No acumulado do ano, a movimentação de cargas superou 39 milhões de toneladas, nos portos públicos do Rio Grande, Pelotas e Porto Alegre

A superintendência dos Portos do Rio Grande do Sul (Portos RS) divulgou o resultado do ano de 2020 dos três portos públicos do Rio Grande, de Pelotas e de Porto Alegre. Ao longo do ano, o porto rio-grandino movimentou mais de 38 milhões de toneladas de carga somente no complexo público. Um dos destaques do ano foi o mês de junho, período em que foi movimentado o montante de 4,4 milhões de toneladas, batendo o recorde que havia sido verificado no mês de setembro de 2018, quando haviam sido 4,34 milhões de toneladas.

A soma da movimentação dos três portos, que vem operando durante a pandemia com todos os protocolos indicados pelas autoridades sanitárias internacionais, registrou uma movimentação total de 39,9 milhões de toneladas. O porto de Pelotas mostrou no fechamento de 2020 um incremento da movimentação de toras de madeira de mais de 23 mil toneladas movimentadas a mais em relação ao ano de 2019, uma diferença positiva de 2,60%. Atualmente a movimentação de toras de madeira responde por mais de 90% da movimentação do porto pelotense.

Em relação aos principais destinos e origens das exportações e importações do porto do Rio Grande houve poucas diferenças percentuais em relação ao share dos países em relação a 2019. A China, que detinha o primeiro lugar das exportações, com 58,38% das cargas embarcadas, manteve-se estável no primeiro lugar em 2020 com 52,77%. Já na partilha das importações a Argélia perdeu o posto de primeiro lugar para o Marrocos, que aumentou de 7,82% de participação nas importações para 9,27%. Em 2020, verificou-se um incremento de 5,86% nas importações no terminal rio-grandino, representando uma diferença de aproximadamente 483 mil toneladas importadas a mais. Os maiores destaques quantitativos das exportações no período foram a soja, a celulose e o arroz.

Os principais produtos que passam pelo complexo portuário do Rio Grande são a soja (grãos e farelos), representando mais de 32% da movimentação do complexo, e a celulose, que representa quase 9%, além de arroz, cujo volume dos embarques aumentou em 21,74% e os desembarques de fertilizantes, que aumentaram mais de 15% em relação a 2019.

A Portos RS vem implantando uma série de ações visando a readequação, a racionalização e a consequente redução dos custos operacionais que envolvem os recursos gerenciais necessários para as operações do órgão. Estas ações levaram à economia de mais de R$ 16 milhões nos pagamentos de pessoal da autarquia, cerca de 23,3% a menos.

O saldo operacional de 2020, calculado através da diferença entre todas as receitas e despesas da Portos RS, alcançou o valor de R$ 25 milhões, o maior saldo operacional verificado na história desde a criação da autarquia. Segundo o superintendente da Portos RS, Fernando Estima, “tal resultado financeiro só ratifica que a gestão administrativa da autarquia está no caminho certo e vem cumprindo um papel exemplar na busca do desenvolvimento e no fomento da logística multimodal, em especial a hidroviária, do estado do Rio Grande do Sul.”

Por