Vendas de pneus de carga têm queda de 1,8% em 2020

Dos 7,23 milhões de pneus comercializados no país no ano passado, 5,71 milhões foram destinados ao mercado de reposição e 1,52 milhão para as montadoras

As vendas de pneus de carga reduziram 7,3% em dezembro de 2020 na comparação com novembro, de 696,1 mil para 645,3 mil unidades. A Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos (Anip), atribui este resultado à queda de 7,5% no segmento de reposição (de 530,8 mil para 491 mil unidades) e de 6,7% para as montadoras (de 165,2 mil para 154,2 mil unidades).

Na comparação com dezembro de 2019 as fabricantes registraram alta de 25,8% no mês passado (de 512,9 mil para 645,3 mil unidades). Este aumento, segundo a Anip, foi decorrente tanto das vendas para montadoras, que avançaram 72,6% (de 89,3 mil para 154,2 mil unidades), quanto para o mercado de reposição, que cresceu 15,9% (de 423,6 mil para 491 mil unidades).

No acumulado de janeiro a dezembro de 2020 a indústria de pneumáticos registrou retração de 1,8% nas vendas, com 7,23 milhões de unidades, ante os 7,36 milhões de pneus comercializados no país em 2019.

Para o mercado de reposição as empresas repassaram no ano passado 5,71 milhões de pneus, 2,73% a mais que em todo o ano de 2019, quando totalizou 5,56 milhões de unidades. Para as montadoras foram 1,52 milhão de pneus, 15,63% abaixo dos 1,82 milhão enviados em 2019.

Incluindo todos os modelos de pneus (para veículos pesados, automóveis, comerciais leves e motos) a indústria de pneumáticos registrou em dezembro de 2020 a venda de 4,8 milhões de pneus, 9,5% a mais que no mesmo mês de 2019 (4,4 milhões de unidades).

A Anip observa que mesmo com sucessivos meses de boas vendas o setor não conseguiu reverter as perdas dos meses de grande baixa e fechou 2020 com a venda de 51,78 milhões de pneus, queda de 12,9% em comparação com o ano anterior. A redução atingiu todos os segmentos: pneus de automóveis (-19,2%), comerciais leves (-13%), carga (-1,8%) e moto (-1,2%).

“Em um ano totalmente único, com suspensão de produção por um período determinado e de amplas medidas de prevenção em relação a Covid-19 que ainda permanecem, a indústria de pneumáticos no Brasil respondeu prontamente as necessidades de todos os mercados, inclusive com crescimento no fornecimento do equipamento original”, afirma Klaus Curt Müller, presidente executivo da Anip.

Nas transações internacionais o setor de pneumáticos acumulou de janeiro a dezembro superávit de US$ 220,1 milhões na balança comercial, com exportações que atingiram US$ 855,1 milhões (26,4% a menos que em 2019) e importações que totalizaram US$ 635,1 milhões (32,8% inferior a 2019). Na comparação com 2019 esse valor significou um resultado 1,3% maior.

Em unidades as fabricantes acumularam um saldo negativo de 9,68 milhões de pneus de janeiro a dezembro de 2020, com exportações de 11,19 milhões (24,2% a menos que em 2019) e importações de 20,87 milhões de pneus (16,3% inferior ao ano anterior). Em 2019 o resultado negativo foi de 10,18 milhões de pneus, segundo a Anip.

Por