Complexo portuário de Itajaí e Navegantes cresce 12% até outubro

Somente em outubro, o complexo registrou um salto de 17% na movimentação de TEU e 15% na tonelagem, no comparativo ao mesmo período do ano passado

O complexo portuário de Itajaí e Navegantes, em Santa Catarina, tem atingido resultados positivos em 2020, apesar das dificuldades trazidas pela pandemia. “No acumulado do ano, temos um crescimento de 12% em relação a 2019 no e projetamos um crescimento de 13% para o encerramento do ano”, informa Heder Cassiano Moritz, diretor geral de operações logísticas da superintendência do porto de Itajaí.

Em 2020, mesmo com a pandemia do Covid-19, a questão cambial e sem registros de operações Roll-On/Roll-Off, o porto de Itajaí demonstrou avanços significativos. “Apesar dessas condições adversas, Itajaí tem tido um ano muito positivo, e esperamos nos próximos meses manter esse crescimento encerrando 2020”, ressalta Moritz.

Moritz reforça que a movimentação apresentada nesse ano tem superado os números esperados a três anos atrás, quando obras, como a nova Bacia de Evolução, precisavam ainda ser concluídas.

Recordes-

Em outubro, os resultados foram excepcionalmente favoráveis. O complexo portuário de Itajaí e Navegantes registrou a movimentação de 129.311 contêineres e 1,43 milhão de toneladas de cargas, o que significa um incremento de 17% na movimentação de TEU e 15% na tonelagem, em relação ao mesmo período do ano passado.

Portonave registrou 47 escalas com movimentação de 852 mil toneladas e 77,14 mil TEU, um aumento de 7% e 9%, respectivamente, no comparativo ao mesmo período do ano passado em que foram movimentados 797,4 mil toneladas e 70,9 mil TEU.

Em outubro, a exportação manteve-se com principal sentido das cargas, correspondendo a 63% das cargas em contêineres movimentadas. Os principais produtos exportados foram: frango, carnes e madeiras e derivados, com destaque para as carnes que apresentaram crescimento de 51,8% na movimentação em relação a outubro de 2019.

As importações corresponderam a 37% do total, sendo mecânicos e eletrônicos, produtos químicos e têxteis e diversos os principais produtos importados. Os produtos químicos apresentaram um aumento de 80,5% em relação ao mesmo período do ano passado.

Por