Julio Perotti, diretor executivo da Gollog. “O mercado está aprendendo rapidamente a trabalhar no mundo digital e a movimentação eficiente de estoques é necessária para atender esta demanda”, afirma.

Transporte Moderno – Para adequar a oferta à demanda durante a pandemia da Covid-19 a Gollog reduziu em 70% a sua capacidade em junho, o que fez diminuir as operações de carga. Agora, com a volta das atividades dos setores industriais, a empresa já está retomando as operações de carga? Julio Perotti – Desde o […]

Transporte Moderno – Para adequar a oferta à demanda durante a pandemia da Covid-19 a Gollog reduziu em 70% a sua capacidade em junho, o que fez diminuir as operações de carga. Agora, com a volta das atividades dos setores industriais, a empresa já está retomando as operações de carga?

Julio Perotti – Desde o início da pandemia a Gollog vem ajustando a capacidade de transporte de acordo com a evolução da malha aérea da Gol. No segundo trimestre de 2020 a redução foi de 91,2% em relação ao mesmo período de 2019. Mas a Gollog está focada em atender com qualidade e eficiência os segmentos em que o transporte de carga por via aérea, com sua velocidade e segurança, agrega valor ao produto.

Transporte Moderno – Como a Gollog está colocando isso em prática?

Julio Perotti – Para melhor atender a estes segmentos, a Gollog está se especializando na integração multimodal, descomplicando o processo da intermodalidade na cadeia logística. Durante este período de pandemia, essa intermodalidade nos possibilitou seguir cobrindo localidades com voos suspensos, ligando estes mercados a aeroportos que estavam operando, em parcerias com o modal rodoviário. Assim, continuou atendendo as mais de três mil cidades, com sua ampla e fortalecida cadeia logística.

Transporte Moderno – Qual a frequência dos voos e quais os destinos?

Julio Perotti – Com a intermodalidade e adequações em prazos de transferência, passamos a não depender unicamente da malha aérea da Gol e continuamos a atender nossos clientes oferecendo a mesma lista de destinos de antes da pandemia.

Transporte Moderno – Que segmento está tendo maior demanda agora?

Julio Perotti – Com a pandemia, houve um aumento disruptivo de equipamentos médicos transportados, como produtos farmacêuticos, exames médicos, vacinas e equipamentos hospitalares. Nos preparamos para isso, ajustamos nossos produtos para as entregas. O e-commerce também tem bastante movimentação.

Transporte Moderno – Que tipo de produto a Gollog está transportando?

Julio Perotti – A Gollog transporta qualquer tipo de produto, desde que respeitadas as normas de segurança do transporte aéreo. Os principais segmentos, para os quais estamos melhorando constantemente a eficiência no transporte, são: fármacos, animais vivos, perecíveis e eletrônicos de alto valor agregado. Considerando a necessidade destes segmentos em relação a prazos e cuidados especiais, temos opções que atendem com eficiência a demanda, principalmente o consumidor que precisa enviar com velocidade, praticidade e simplicidade.

Transporte Moderno – Quais são as opções?

Julio Perotti – O lançamento do Gollog Chegol neste ano veio para atender com versatilidade às demandas de pequenos volumes, pois é um produto que oferece maior facilidade, preço competitivo e mais velocidade em comparação a outros serviços já existentes no mercado. Com frete expresso e prioridade de embarque, não há necessidade de pesar o produto. É possível transportar tudo o que couber nas caixas padronizadas do Chegol, que já estão inclusas no valor do serviço. Itens de vestuário, livros, eletrônicos, fitness, cosméticos, calçados e acessórios, por exemplo, podem ser facilmente transportados.

Transporte Moderno – A empresa tem outros serviços?

Julio Perotti – Temos o Gollog Urgente: transporte urgente de cargas e encomendas, com prioridade no embarque e desembarque e prazo de transferência aérea de um dia útil; o Gollog Rápido: transporte expresso para quem busca agilidade, sem urgência, com prazo de transferência aérea de dois dias úteis; e o Gollog Econômico: transporte econômico com prazo prolongado para garantia do melhor preço. O prazo de transferência aérea é de 15 dias úteis.

Transporte Moderno – No primeiro semestre de 2019 os produtos de maior destaque para a Gollog foi o setor de eletroeletrônico. Como está a demanda agora neste momento de retomada?

Julio Perotti – O segmento de eletrônicos foi superado pelo fármaco neste período de pandemia, por razões óbvias, mas à medida que o mercado se ajusta e se ajusta ao novo momento, as mercadorias mais comuns ao transporte aéreo voltam a ter boa participação em nosso mix.

Transporte Moderno – Diante do novo cenário, pós-pandemia, a Gollog está confiante ser possível recuperar o volume de carga transportada?

Julio Perotti – A Gollog fez uma reformulação de portfólio, acelerando e reorganizando o que estava planejado. Nosso compromisso segue com a qualidade de entrega, atendendo ao cliente de acordo com o mercado e suas demandas.

Transporte Moderno – Como a empresa avalia o setor aéreo de carga em geral?

Julio Perotti – O mercado está aprendendo rapidamente a trabalhar no mundo digital e a movimentação eficiente de estoques é necessária para atender esta demanda. A necessidade da logística faz com que o transporte seja mais forte, mais ativo. Não é o mercado que está aquecido, mas sim o consumidor que está mudando hábitos. No fim de 2020 os resultados devem ser mais próximos do que eram os esperados antes da pandemia.

Transporte Moderno – A Gollog acredita que, mesmo com o impacto da pandemia, a movimentação de carga aérea em 2020 ainda pode superar 2019?


Julio Perotti –
Acreditamos que o setor de cargas vai se recuperar mais rápido que muitos outros, pois os produtos não ficam mais parados nas prateleiras das lojas, estão se deslocando. Isto é que fomenta o crescimento do ciclo econômico da logística e é uma tendência permanente, sem volta.

Por