Caça Gripen faz primeiro voo no Brasil

A apresentação oficial da jato militar está prevista para cerimônia do Dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira, em 23 de outubro, e os primeiros caças serão entregues à FAB a partir do final de 2021

O primeiro Gripen E Brasileiro, denominado F-39 Gripen pela Força Aérea Brasileira (FAB), concluiu na quinta-feira passada (24 de setembro), seu voo inicial no país. O caça voou do aeroporto de Navegantes, Santa Catarina, para a fábrica de aeronaves militares da Embraer em Gavião Peixoto, interior paulista.

A apresentação oficial da jato militar está prevista para cerimônia do Dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira, comemorados no dia 23 de outubro.

“A chegada do Gripen no Brasil e o seu primeiro voo são marcos importantes no Programa Gripen. Estamos orgulhosos dessa jornada ao lado de profissionais tão qualificados e comprometidos dos dois países”, comemora Micael Johansson, presidente e CEO da Saab. “Nós estamos cumprindo o cronograma de entrega dos caças e mantemos o nosso compromisso de longo prazo com o Brasil”.

O presidente e CEO da Embraer Defesa & Segurança, Jackson Schneider, destacou o âmbito dessa parceria.

“A Embraer desempenhará um papel de liderança na execução do programa Gripen no Brasil e será responsável pelo trabalho de desenvolvimento de sistemas, integração, testes de voo, montagem final e entrega das aeronaves de forma a apoiar a operação da Força Aérea Brasileira. Como parte da transferência de tecnologia o Programa Gripen será uma grande oportunidade para aumentar nosso conhecimento no desenvolvimento e manufatura de uma aeronave avançada de combate”.

O ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, também destacou a importância do compartilhamento de experiências por meio da cooperação entre Brasil e Suécia.

“O Gripen aumenta a capacidade operacional da Força Aérea Brasileira e impulsiona uma parceria que fomenta a pesquisa e o desenvolvimento industrial dos dois países”, declarou o ministro da Defesa.

Para o Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, a chegada do primeiro caça Gripen F-39  é um grande marco para o projeto.

“É uma imensa satisfação para a Força Aérea Brasileira ver esta aeronave voando em território nacional. O F-39 Gripen, novo caça multimissão da Força Aérea Brasileira, será a espinha dorsal da Aviação de Caça e veio para reafirmar o compromisso da FAB em manter a soberania do país, na defesa dos 22 milhões de quilômetros quadrados sob sua responsabilidade”, ressalta Bermudez.

A partir de agora o programa de ensaios irá incluir o Centro de Ensaios em Voo do Gripen (na sigla em inglês GFTC, Gripen Flight Test Center) na Embraer, em Gavião Peixoto, que será totalmente integrado ao programa de ensaios que já está em andamento na Saab, em Linköping, Suécia, desde 2017. As atividades no Brasil incluem testes nos sistemas de controle de voo e de climatização, assim como testes na aeronave em condições climáticas tropicais. Além dos ensaios que são comuns às aeronaves do Programa Gripen E, serão testadas no Brasil características únicas das aeronaves brasileiras, como integração de armamentos e o sistema de comunicação Link BR2 – que fornece dados criptografados e comunicação de voz entre as aeronaves.

Os primeiros caças serão entregues à Força Aérea Brasileira, em Anápolis Goiás, a partir do final de 2021.

A parceria entre a Suécia e o Brasil começou em 2014, com um contrato para o desenvolvimento e produção de 36 aeronaves Gripen E/F para a Força Aérea Brasileira, incluindo sistemas, suporte e equipamentos. Um amplo programa de transferência de tecnologia, em execução em um período de dez anos, está impulsionando o desenvolvimento da indústria aeronáutica local por meio das empresas parceiras que participam do programa Gripen Brasileiro.

Os caças brasileiros Gripen E/F são desenvolvidos e produzidos em colaboração com técnicos e engenheiros brasileiros. Esse esforço conjunto faz parte do programa de transferência de tecnologia que visa proporcionar o conhecimento prático necessário para a execução dessas mesmas tarefas no Brasil. A partir de 2021, a montagem completa de 15 aeronaves terá início localmente. O desenvolvimento do Gripen F, de dois assentos, está avançando com inúmeras atividades no Centro de Projetos e Desenvolvimento do Gripen (Gripen Design and Development Center, GDDN), em Gavião Peixoto.

Por