Porto Itapoá: o terceiro maior terminal de contêineres do Brasil

De janeiro a maio, o terminal portuário, que está apto a receber grandes embarcações, registrou incremento no volume de cargas

O porto Itapoá, em Santa Catarina, fechou os cinco primeiros meses de 2020 com um aumento de 11,3% no volume de contêineres movimentados em relação ao mesmo período de 2019. O destaque são as operações de importação e transbordo, que apresentaram crescimento de 7,4% e 53,6%, respectivamente.

Em relação a cargas conteinerizadas, a Antaq classifica o porto Itapoá na primeira posição entre os portos movimentadores de contêineres de Santa Catarina no ano de 2019. No Brasil, o terminal ocupou a terceira posição no último ano. O incremento em Itapoá foi o maior entre os seis maiores portos brasileiros, de 15,92%, com 735 mil TEU movimentados em 2019.

As exportações, que apresentavam números estáveis em relação a 2019, devem manter essa tendência, com uma possibilidade de crescimento para segmentos específicos, como reefer e setor madeireiro, que podem ganhar força em função do câmbio favorável. Completando nove anos de atuação, Itapoá é um terminal de uso privado (TUP) concebido para receber grandes embarcações.

Na avaliação da administração portuária de Itapoá, a superação dos números de 2019 é um grande desafio para o porto, bem como a todo o setor portuário brasileiro, seja pela reconfiguração do mercado devido à pandemia, seja em função da volatilidade dos mercados internacionais, notadamente atrelada ao impacto do dólar na precificação das transações comerciais.

Em 2019, Itapoá obteve um destaque especial, conquistando o patamar de terceiro maior terminal de contêineres do Brasil e o maior de Santa Catarina. A meta é superar o número de movimentações em 2020, visando manter essa colocação, contribuindo o máximo possível para a retomada da produção industrial e da economia como um todo.

No dia 30 de maio, a Marinha do Brasil ratificou os novos parâmetros operacionais para atracação de navios no porto Itapoá que, a partir de agora, poderá receber embarcações de até 350 metros de comprimento.


Localizado na baía da Babitonga, Itapoá já era um dos portos brasileiros capazes de receber os grandes navios que atuavam na costa brasileira. Com a oficialização dos novos parâmetros, a expectativa é o mercado internacional de porta-contêineres inicie o envio dessas embarcações ao Brasil e, não havendo restrições para as manobras, todo o setor produtivo da região poderá obter ganhos em escala em seus respectivos negócios. 

Em Santa Catarina, o complexo portuário da Baía da Babitonga, que inclui os terminais portuários de Itapoá e São Francisco do Sul, representou 59,3% de toda a carga movimentada pelos portos no estado, no ano passado. Ao todo, Santa Catarina movimentou quase 47 milhões de toneladas, sendo que 28 milhões de toneladas passaram pelos portos da Babitonga, de acordo com os dados da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq).

Por