Digitalização além da crise

Carlos Mira é o fundador do TruckPad, uma plataforma de conexão entre caminhoneiros e cargas, que ultrapassou a marca de 1,2 milhão de downloads. O empresário tem mais de 35 anos de experiência no setor de transporte rodoviário de carga

– A demanda pelos motoristas autônomos sofreu queda, em virtude da pandemia e das medidas de quarentena?

Carlos Mira – Realizamos uma pesquisa junto aos quase dez mil contratantes de fretes (indústria, comércio, atacadistas e transportadoras) que utilizam a plataforma para localizar e contratar caminhoneiros para suas operações. Notamos que cerca de 90% das empresas demonstraram queda em seu movimento operacional.  Algumas empresas já registraram diminuição em cerca de 40% em seu faturamento. No entanto, empresas transportadoras ligadas ao agronegócio estão a todo vapor. 

Produtos de primeira necessidade, como alimentos e produtos de higiene continuam sendo transportados e comercializados normalmente. No entanto, já é percebida uma grande queda na movimentação de produtos considerados supérfluos, como eletrônicos e artigos de vestuário, por exemplo.

– Que setores da economia têm sofrido mais com a pandemia? Alguns segmentos têm crescido?

Carlos Mira – Os eventos sociais, de entretenimento, como shows, vão sofrer bastante. Depois, acredito que outros locais onde as pessoas fiquem muito próximas, como restaurantes, serão bastante afetados. Em terceiro lugar, acredito que haverá uma mudança de hábitos de consumo, e locais como os shoppings centers serão afetados.  Os eventos on-line, as lives, os pedidos de delivery em restaurante e as vendas pela internet serão o ‘novo normal’ no mundo dos negócios. Essas são as três áreas que eu imagino que vão sofrer algumas mudanças mais profundas no curto prazo por conta do coronavírus, mesmo que seja determinado o relaxamento do isolamento. Em contrapartida, e-commerces, deliveries de supermercados e pequenos negócios e cursos online têm crescido nesse primeiro momento.

– O senhor acredita que a categoria dos motoristas de caminhão está consciente dos riscos e das medidas de prevenção?

Carlos Mira – Os caminhoneiros com os quais temos contato têm se mostrado conscientes e dispostos a seguir trabalhando, tanto porque sabem o quão essencial é seu trabalho para a manutenção do abastecimento do país, já que a distribuição de bens de consumo depende majoritariamente do transporte rodoviário de cargas. Eles se mostram bem informados sobre o tema, levando em consideração que sua rotina já contempla certo isolamento social uma vez que trabalham, em grande parte de seu tempo, sozinhos dentro das cabines de seus caminhões. Houve relatos de falta de locais abertos nas entradas para se alimentarem ou fazerem manutenção dos caminhões, mas diversas empresas, incluindo TruckPad e parceiros, têm se mobilizado para fazer doações nas estradas ou mesmo ajudar a informá-los sobre onde encontrar estabelecimentos funcionando.

– Como a tecnologia pode ajudar o setor de transporte rodoviário de cargas neste momento?

Carlos Mira – A digitalização do setor é a principal consequência desse momento para as empresas do setor logístico. Muitas já haviam começado a digitalizar o seu setor de atendimento ao cliente, com o uso do WhatsApp, por exemplo, mas agora vemos esse movimento se intensificar também no contato com os fornecedores. Nesse sentido, o TruckPad oferece uma grande ajuda ao setor, pois permite que as empresas localizem caminhoneiros autônomos para fazerem seu transporte de cargas sem que os funcionários precisem circular por postos de gasolina, pátios de estacionamento, terminais de carga, se expondo à contaminação. Mesmo depois de passada a necessidade de isolamento social, certamente as vantagens do digital já estarão tão evidentes que não deve haver um regresso.

– Como a Truckpad está atuando neste momento de crise? Quais as principais medidas de apoio aos autônomos e às transportadoras?

Carlos Mira – Por termos investidores chineses (a empresa Full Truck Alliance), seguimos os conselhos deles e começamos a nos preparar bem mais cedo para esse momento, então tivemos uma transição tranquila para o home office. Hoje, 100% de nossos colaboradores trabalham desde suas casas e seguimos fazendo reuniões semanais com todo o time de forma virtual.  Organizamos também happy hours, comemorações de aniversários entre outras atividades, por videoconferência, para proporcionar um ambiente virtual mais amigável – na medida do possível. Foram criados ainda alguns concursos inusitados, como  “melhor vídeo sobre home office”, “melhor vídeo do final de semana confinado” e “quem tem mais estilo no happy hour”. A ideia é manter o clima de união e descontração da empresa mesmo em tempos de quarentena. 

Para apoiar o setor, lançamos a iniciativa Transporte Voluntário, na qual nos oferecemos para localizar e contratar gratuitamente caminhoneiros para entregar doações de produtos de saúde (o frete para o motorista é pago pelo TruckPad). Já fizemos mais de 50 entregas pelo país. Hospitais e entidades de assistência médica podem acionar a nossa iniciativa através do site: https://www.transportevoluntario.com.br/. Além disso, em parceria com a Anfir (Associação Nacional Fabricantes de Implementos Rodoviários), estamos distribuindo refeições gratuitas aos motoristas nas rodovias brasileiras, para apoiar esses profissionais tão importantes nesse momento de crise.

Estamos dando crédito no nosso app TruckPad Pay, a carteira digital do TruckPad, com o qual o motorista poderá comprar sua refeição em um dos postos participantes da campanha, em todo território nacional. No local, basta escolher pagar com QR Code e usar o app TruckPad Pay. A lista de postos participantes pode ser consultada diretamente no aplicativo. Mais detalhes sobre a campanha estão disponíveis neste link. Sobre as transportadoras, a nossa ‘fintech’ TruckPad Pay está oferecendo oportunidade de crédito para que transportadoras possam pagar seus caminhoneiros com mais prazo, aliviando assim o seu fluxo de caixa. 

Estamos empenhando todos os esforços possíveis para dar suporte financeiro para as empresas de transportes usuárias do nosso sistema.  Estaremos ao lado de nossos parceiros nesse momento de grande impacto negativo em sua atividade comercial.

Por