Pandemia afeta mercado de filtros automotivos

O segmento de reposição, para atender a frota, e as exportações, com o dólar alto, devem ajudar indústria a se recompor

Em virtude das medidas de restrição de circulação e isolamento social, os reflexos econômicos da pandemia da Covid-19 também atingem o mercado de filtros automotivos no Brasil. “O grande impacto será em abril. Na primeira quinzena de maio, o consumo ainda estará num ritmo lento, melhorando na segunda parte do mês”, afirmou Paulo Nascimento, diretor integrante do conselho fiscal da Associação Brasileira das Empresas de Filtros e seus Sistemas (Abrafiltros) e gerente de vendas e marketing da empresa associada Parker Hannifin.

Segundo Nascimento, as expectativas para 2020 eram promissoras antes da pandemia, com expectativa de crescimento de 10% estimulado pelos pedidos das montadoras. “As vendas em abril para as montadoras não ocorrerão. E a demanda caiu 50% nas autopeças e atacadistas. Mas, se o comércio e as empresas reabrirem, o consumo no mercado de reposição volta lentamente”, comentou.

Na opinião do executivo, a tendência é o aftermarket voltar a movimentar o setor de filtros automotivos, já que a renovação de frota não deve acontecer rapidamente, e os consumidores devem optar pela manutenção dos veículos em detrimento de novas aquisições. Há dois setores que ainda estão movimentando o mercado de filtros automotivos: o transporte de cargas de alimentos e o agronegócio.

Sobre o estoque, Nascimento disse que será reduzido lentamente e não deve estimular a retomada da indústria num ritmo agressivo. As empresas pequenas e médias são as que mais sofrem com a crise gerada pela pandemia. “Se estas empresas fecham, o desemprego aumenta, o consumo cai e todos da cadeia sentirão”.

Além da crise gerada pela pandemia, há preocupação da indústria com a saúde dos colaboradores. “É necessário manter a produção funcionando, com distanciamento social no trabalho, uso de EPI e limpeza”, ressaltou. Outra questão é buscar mercados para atuação, especialmente no agronegócio. “Precisamos estar preparados para a retomada da economia, inclusive, alinhados com os fornecedores para não faltar insumos”, afirmou. Nascimento disse que ainda é possível exportar filtros automotivos. “Com o dólar no patamar que está, é fundamental focar no mercado externo”, disse Nascimento. 

Por