Armário inteligente evita contato durante a entrega de refeições

O smart locker foi instalado no Hospital das Clínicas (HC) de São Paulo para atender às recomendações das autoridades em saúde

Com a pandemia do Coronavírus, a demanda por entregas de refeições para médicos e profissionais da saúde aumentou de forma significativa no Hospital das Clínicas (HC), em São Paulo. Para evitar o contato humano durante o recebimento dos alimentos, o estacionamento do Centro de Convenções Rebouças, administrado pela rede Rede Fitpark, disponibilizou um armário inteligente com interface digital com mais de 40 compartilhamentos disponíveis.

Rafael Boldrini, diretor executivo da Rede Fitpark Estacionamentos, disse que os profissionais da saúde e médicos têm intensificado a permanência no HC e a disponibilidade de um smart locker para que os motoboys entreguem refeições diárias e até mesmo, as compras dos supermercados, é uma forma de preservar a saúde de todos, evitando o contato humano neste momento da pandemia do Coronavírus, conforme orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e Ministério da Saúde. “Estou em negociação para que empresas como Rappi, iFood e outras empresas de entrega façam parte desta iniciativa”.

“Ao solicitar um almoço, por exemplo, os profissionais da saúde informam o endereço do HC e o número do armário para a entrega. O motoboy, através de uma interface digital com o smart locker abre a porta e deixa o pedido, na sequência avisa o seu cliente sobre a finalização da entrega via celular”, explica Boldrini.

Essa iniciativa da rede Rede Fitpark recebeu apoio total do Instituto de Inovação do Hospital das Clínicas (InovaHC) e da Unlog, startup logtech focada em reinventar a utilização das garagens, transformando-as em minicentros de distribuição, que disponibilizou seu smart locker, denominado Unpod para apoio às necessidades do complexo do HC. “A Fitpark propôs esses novos processos de entrega ao complexo de saúde com apoio total da Uulog que aderiu a causa evitando o contato humano para a batalha do Covid-19”  explica Michele Dim D’Ippolito, CEO e co-fundador da Unlog.

Por