Centro de logística da Scania completa seis anos de operação

Com 55 mil metros quadrados, o CD reúne 130 mil caixas de peças, movimenta cerca de 200 caminhões diariamente e recebe semanalmente por volta de 150 contêineres, operação que é coordenada pela área de logística da Suécia e da Holanda

Sonia Moraes

O centro de logística da Scania, que completa seis anos de operação na fábrica de São Bernardo do Campo (SP) – antes estava instalado na cidade de Mauá (SP) –, mantém ativa a programação de melhorias, com foco em digitalização e automação, que vai desde a implementação de AGV´s (veículos autônomos guiados), digitalização das informações para recebimento e expedição de peças e componentes, carregamento de caminhões, medição de tempo de trajeto e descarregamento na fábrica.

“Tudo isso sempre focando a melhoria de fluxos e processos, assim como otimização de frota para essa operação. Esses são apenas alguns exemplos de como estamos usando os dados com informação em tempo real para o acompanhamento mais rápido do processo”, revela a gerente executiva de operações logísticas da Scania, Renata Perucci, em entrevista para o portal Transporte Moderno.

Nesta área de logística trabalham 500 funcionários que dividem a jornada em três turnos e, para garantir a plena produção de caminhões e ônibus, exige atuação intensa da equipe. “Para o abastecimento da linha de montagem são realizadas coletas diárias utilizando o sistema milk-run nos fornecedores locais”, detalha Perucci.

Aline Feltrin

Na rotina diária, o armazém logístico também recebe contêineres de material importado. “A partir do armazém, efetuamos a transferência de peças diariamente, de acordo com a solicitação recebida de cada plataforma logística interna. As peças sequenciadas para a produção são entregues diretamente na fábrica e o abastecimento da linha de montagem de ônibus e caminhões segue o mesmo fluxo, variando somente na quantidade de componentes e peças”, explica a gerente.

A transferência de material entre o armazém e a fábrica é feita por caminhões próprios e operada pela LOTS (empresa que pertence ao Grupo Scania). “Estas peças (chassis, cabines, motores e transmissão) são recebidas nas plataformas logísticas de cada fábrica e a distribuição interna para as linhas de montagem é efetuada por cada fábrica com sua organização logística própria.”

Movimentação diária de quase 200 caminhões

O centro logístico da Scania tem 55 mil metros quadrados e possui 130 mil caixas de peças armazenadas. Entre recebimento e expedição são movimentados diariamente cerca de 200 caminhões. “Todas as peças têm sua importância, pois sem uma delas o produto não sai completo no fim da linha de produção. Então, temos que tratar todas com a mesma atenção. Trabalhamos para garantir que cheguem às fábricas no momento adequado para sua utilização” ressalta a gerente.

Neste armazém são estocadas somente peças com giro para abastecimento das linhas de montagem e produzidas pelos fornecedores. “Seguimos estoque de segurança de acordo com a complexidade de cada fluxo – com peças importadas e nacionais –, que pode variar de dois a 15 dias”, detalha Perucci.

Na operação de peças importadas, a grande maioria é de fornecedores europeus, e o fluxo maior de transporte é o marítimo. “Temos uma área de logística na Suécia e na Holanda, que coordena o envio dos componentes e peças para nosso centro logístico. Por volta de 150 contêineres são embarcados semanalmente”, informa Perucci. “A utilização do transporte aéreo depende da criticidade específica do momento.” 

A gerente responsável pelas operações logísticas da Scania comenta que o centro logístico está adequado às demandas atuais e as de médio prazo. “Acompanhamos de perto as tendências, e como o planejamento foi feito com uma visão de médio prazo, não temos planos de expansão neste momento”, afirma Perucci.

LEIA MAIS

Scania trabalha para se habilitar no Mover
Com a presença de Alckmin, Scania anunciará investimentos de R$ 2 bilhões para o Brasil

Veja também

Por